Por que corredores lesionam tanto?


A corrida de rua é um esporte que vem ganhando cada vez mais adeptos no Brasil. Muitos iniciam sua prática para auxiliar no tratamento de doenças cardiovasculares, outros para perder peso, outros para ajudar a combater o estresse do dia a dia e outros simplesmente para sair do sedentarismo. Porém, muitos praticantes da corrida de rua sofrem lesões precoces, mesmo mantendo um ritmo leve ou moderado de treinamento. Dados estatísticos apontam que 92% dos praticantes sofrem algum tipo de lesão ao longo da carreira.

O que poucas pessoas sabem, é que o corpo pode não estar preparado para desempenhar movimentos mais intensos e até mesmo para receber os impactos provenientes da corrida, por mais leve que ela seja. Durante uma corrida, as articulações dos pés, joelhos, quadris e coluna realizam movimentos repetitivos e sincrônicos, além de receber impactos constantes, que no corredor de rua são piores ainda, pois existem muitas irregularidades nas ruas e calçadas.

As lesões podem ocorrem por vários motivos:

Despreparo da musculatura: é importante fortalecer os principais músculos envolvidos na corrida primeiro, para evitar estiramentos e distensões.

Calçado inadequado: é fundamental um tênis adequado, com um bom sistema de amortecimento dos impactos.

Falta de orientação profissional: procure orientações de um educador físico especializado, para que sejam aplicadas técnicas corretas durante a atividade.

Ausência de avaliação cardiológica: é essencial uma avaliação com médico cardiologista para se assegurar que não existe risco cardíaco.

Mesmo com todos esses cuidados, o praticante da corrida de rua não está totalmente livre das lesões. Quando surgirem as dores, a primeira coisa a se fazer é se afastar das atividades e procurar um bom Fisioterapeuta para uma análise biomecânica. A partir daí, realizar as devidas correções a fim de devolver ao corpo a sua melhor condição de se movimentar e absorver os impactos.

Por Danilo Soares