Síndrome da cauda equina


A hérnia de disco é uma das patologias mais comuns que acometem a coluna vertebral, principalmente sua porção lombar. Ela se caracteriza por uma lesão no disco intervertebral, causando a compressão da raiz nervosa e consequentemente dor local ou irradiada para um dos membros inferiores.

O que pouca gente sabe, é que além de causar fortes dores, a hérnia discal pode causar danos neurológicos gravíssimos, chegando a comprometer permanentemente a vida das pessoas. A complicação mais temida de uma hérnia de disco lombar é conhecida como Síndrome da Cauda Equina.

A Síndrome da Cauda Equina se caracteriza por uma alteração neurológica ocasionada pela compressão das raízes nervosas localizadas no final da coluna lombar.

Os sintomas são:

• Incontinência urinária ou fecal.

• Perda parcial ou total do movimento de um ou ambos os membros inferiores.

• Dor ou dormência de um ou ambos os membros inferiores.

• Diminuição da sensibilidade em sela (região do corpo onde uma pessoa se senta sobre a sela de um cavalo).

• Dor ou dormência de um ou ambos os membros inferiores.

diagnóstico

O diagnóstico é feito através de exames clínicos e exames complementares (Rx, tomografia computadorizada e ressonância magnética).

Uma vez diagnosticada a Síndrome da Cauda Equina, o tratamento cirúrgico tem que ser realizado o quanto antes possível, para descomprimir a raiz nervosa, e consequentemente eliminar ou minimizar as sequelas.

Após a cirurgia, o paciente deve ser submetido ao tratamento Fisioterapêutico para alívio de dores e recuperação dos movimentos.

Uma hérnia de disco só irá provocar a síndrome da cauda equina, caso o paciente não procure tratamento rápido, por isso, o recomendado é que as pessoas que apresentam constantemente dores na coluna, procurem ajuda profissional o mais rápido possível.

Os tratamentos como Osteopatia, Mckenzie e Mesa de Flexo Distração se destacam pela sua eficiência e rapidez. Após ter eliminado a dor, o paciente deve ser orientado a praticar atividade física adequada para ganho de flexibilidade e fortalecimento da musculatura que sustenta/estabiliza a coluna vertebral.

Por Danilo Soares